logo
paz
O Jogo e suas Regras
1. O jogo exclui toda busca de prestígio, tanto pessoal ou coletivo.
 
jogo

 

Sobre o plano pessoal: A atitude do jogador implica em respeitar todos os demais jogadores, seja adversário ou da mesma equipa, forte ou fraco. O jogo é aberto à todos, um vez que, as capacidades constitucionais ou aquisitivas, são diversas. É portanto, inevitável o encontro de todos os graus de qualidades de atletas, o respeito e a consideração, "dus à chacun" obriga todos os jogadores a se adaptarem a seus próprios comportamentos, técnico e tatico as circunstâncias do momento.

 

 

Sobre o plano coletivo: Um resultado, qualquer que seja, não implica em elevar à estima e a satisiaçao pessoal, não dá direito ao "sectarismo" de qualquer gênero, una vitoria pode provocar praser e alegria, mas não é uma razão de orgulho. A alegria provocada de uma vitoria é um incentivo, o orgulho do vencedor implica em gerar uma luta de prestigio que nos condenam, porque esta sujeito a tensão e conflito nas relacões humanas nos mais diversos tipos e todos os graus.

   
2. O jogo comporta sacrifícios dos próprios interesses.
   
2
 
 
 
 
 

Para começar, uma atenção constante na circulação da bola, depois as observações simpatizante dos jogadores. Tal sacrificio é a participação subjetiva ao evento, ele tem como resultado unir as personalidades com confrontações recíprocas em relação ao jogo:

 

a) O senso de rendimento coletivo da equipe : Ela complementa os adversarios; aprende à estimá-los e apreciar seus valores; crer no sentimento de unidade dentro do afrontamento de pequenos grupos.

 

b) A assimilação das atitudes de grupo : Chamado "adversario" em respeito ao qual precisa se impôr um jogo adequado, mas que não comporta em momento algum, sentimento de hostilidade, de nenhuma espécie .

 

c) A preocupação principal de cada jogador deve ser a procura de um bom jogo. A experiência universal dentro dos esportes se resume na seguinte expressão : "O bom jogo chama o bom jogo".

Esta disposição do espirito e a base da ação social do Tchoukball. Ela permite de se orientar para à perfeição e evitar sempre, ação negativa contra o adversario. E mais que uma regra do jogo, é uma regra de conduta permanente. A compensação psiquica do comportamento e base da personalidade social.

O objetivo é assim, a supressão de conflito dentro de uma idêntica prospectiva. A idéia "Fair Play" e também ultrapassada, não se trata de concessão feita ao adversário mas sim de ação conjunta, ligando as equipes uma as outras ou o bom jogo de uma equipe poderá fazer o possível de um bom jogo da outra parte.

3. O jogo deverá ser um exercício social não uma atividade fisica.
   
 
 
 
 

Uma comunhão pelo meio de execução , o melhor tem a responsabilidade de ensinar aos menos dotados, não existe portanto, um campeão no verdadeiro sentido da palavra, mas sim uma corrida para competência.

 

Quando se diz : "Que vença o melhor !", sub-entende-se o fato que ser o melhor" é sinônimo de uma preparação qualificada. E justo, portanto, que os resultados recompensem os esforços feitos pelos jogadores, primeiro individualmente e depois coletivamente.

Desse ponto de vista, uma vitória pode e deve suscitar uma normal satisfação acompanhada do respeito ao adversário.

 

A vitória deve provocar nos adversários estimulação (desejo de fazer, outrotanto) e não um sentimento de engradecimento. Os vencedores deveriam esforçarem se para favorecer tal impressão. Uma sã satisfação dos vencedores é a maneira cordial de estender as mãos aos perdedores incentivando os a continuar um treinamento mais eficaz.

 

Por todas razões, a noção de "Campeão" deve deixar espaço a uma noção mais modesta e que melhor se adapte aquela de um simples "Vencedor".

 

Jogar para aperfeiçoar. E esse o sentimento que toda atividade de jogo comportar e desenvolver. E para esta conclusão que a organização do Tchoukball deve aspirar, do simples encontro ao mais sério confrontamento cimeix.

 

Precisa afastar o espirito olimpico moderno a causa da hipocrisia e do nacionalismo extremista.

   
Como é jogado o Tchouk-Ball?
 

 

Para jogar Tchouk-Ball é necessário de 02 (dois), QUADROS DE REMISSÃO, ofíciais do Tchouk-Ball e 01 (uma), Bola Estelle handebol. O jogo desenrola-se seja sobre um terreno de 40x20 metros, com duas equipes de 09 (nove), jogadores; seja sobre um terreno de 30x15 metros, com duas equipes de 06 ou 07 jogadores. Os quadros ( ambos poderão serem usados pela duas equipes para efeito de finalizações, uma vez que no Tchouk-ball não existe um campo determinado para às mesmas), assim sendo, os quadros estão disponíveis 01(um), a cada extremidade (central da linha de fundo), do terreno de jogo e cercado por uma área frontal ou zona proibida em forma de um meio círculo de 03 (três), metros de raio.

 
 

 

 

A equipe que possue a bola dispoe de 03 (três), passes no máximo antes de arremeçar a bola sobre um dos quadros de remissão. A outra equipe procura coloca-se de maneira adequada para poder recuperar a bola após ser recocheteada pelo quadro de remissão, antes que a mesma entre em contato com o solo. Durante toda a partida, os jogadores de ambas às equipes não tenhe o direito de se constrangerem ou interceptar a bola no ato de suas ações respectivas, sejam de ataque ou defesa.

   
Os Pontos:  

Um jogador marca ponto para sua equipe se ele arremessar a bola sobre o quadro de remissão de maneira tal que seja impossível para o adversário fazer o rebote antes que a bola caia no chão.

 

Um jogador dá o ponto para equipe adversa se:


- Ele errar o quadro no momento do arremesso;
- Ele faz a bola cair fora do terreno de jogo após a finalização;
- Ele finaliza e a bola no seu retorno do quadro de remissão, rebate sobre ele mesmo;
- Ele ao finalizar erradamente faz com que a bola caia dentro da zona proíbida (área), antes ou depois do arremesso.

   
As Faltas:  

Um jogador comete falta quando:

 

- Ele deloca-se driblando com a bola no chão ou no ar;

- Ele efetua mais de 03 (três), passes com a posse bola;
- Ele joga com os membros inferiores, isto é, abaixo do nível da cintura;
- Ele faz o quarto passe em favor de sua equipe;
- Ele entra em contato com o solo fora do limites do terreno de jogo ou da zona proíbida (área), de posse da bola;
- Ele deixa a bola cair no ato de um passe ou recepção;
- Ele intercepta volutáriamente ( ou não), um passe da outra equipe;
- Ele pega a bola depois da finalização de um companheiro de equipe;
- Ele obstrui o deslocamento do adversário ou a livre trajetória da bola quando esta está sobre a posse do adversário.

 

As faltas deverão ser cobradas no local onde aconteceram ou onde a bola caiu. Sendo que deverá ser concretizado um passe antes da finalização ou dos demais passes permitidos pela regra do jogo.

 

Quando a bola toca na borda do quadro de remissão e sua trajetória natural é modificada. O ponto não é contado, tratando-se de uma falta e o jogo é retomado no local onde a bola caiu. A mesma passa para a posse da equipe que defendia no memento da ação litigiosa.

 

Em um jogo bipolar "02 (dois), quadros de remissão", não é permitido mais de 03 (três), consecutivos sobre o mesmo quadro.

 

A reposição da bola não é contada como passe e é feita atrás da linha de fundo, ao lado do quadro onde foi marcado o ponto. Sendo efetuada pela equipe que sofreu o ponto.

   
Informações Técnicas
Terreno de jogo:
 
tabela
   
Materiais Necessários:  

- 01 (uma), bola estilo handebol
- 02 superfície de remissão (quadros de 1 x 1 m. inclinado à 55°.
- Cada superfície de remissão é colocada atrás (no centro), da linha de fundo do terreno de jogo.

   
Zonas Especiais  
zonas
Diante de cada superfície de remissão, há um meio circulo de três metros de raio, chamado de ZONA PROIBIDA (ou área frontal), o jogador não pode invadir esta área sob hipótese alguma, seja no momento de finalização, rebote, passe ou recepção. Somente por via aérea, isto é, sem entrar em contato com o solo interno da área.
   
Objetivo  

Para a equipe de posse da bola: Lançar a bola sobre a superfície de remissão após no máximo 03 (três), passes. Após recochetear , a bola deverá ...


- Tocar o solo fora da zona proibida para que um ponto seja marcado. Se a bola é recuperada pela outra equipe, o jogo segue normalmente.


- Para a equipe que não estar de posse da bola : Recuperar a bola após ser recocheteada pelo quadro e antes que a mesma toque no chão. Para que isso aconteça é preciso que haja uma movimentação constante em função do passe da equipe adversária para estar sempre em condições de fazer o rebote, recuperando assim a bola para sua equipe. Não é permitido segurar ou provocar o adversário, assim como interceptar a bola no ato dessas ações.

   
Regras Particulares  
- Não há campos definido (cada equipe pode finalizar em ambos os quadros de remissão).
- Não se pode inteceptar os passes da outra equipe. ... Não mais de 03 (três), passes ante da finalização.
- Não mais de 03(três), passos de posse da bola.